Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começa em Rio do Sul

Sete Unidades de Saúde já podem receber o público-alvo. Confira

0
53
Google search engine

O início da campanha nacional de vacinação contra a gripe Influenza foi antecipado e em Rio do Sul e as unidades de saúde com sala de vacina da cidade já estão aptas a imunizar o público-alvo. A campanha segue até o final do mês de maio e o chamado “Dia D”, quando todas as unidades ficam abertas aos sábados, será em 13 de abril.

Por enquanto, os locais de vacinação em Rio do Sul são a Policlínica, que fica no centro, mais as unidades localizadas nos bairros Barra do Trombudo, Bela Aliança, Bremer, Canta Galo, Fundo Canoas e Taboão. Quem for se vacinar, precisa ter em mãos cartão do SUS, CPF e caderneta de vacinação.

A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários para vacinação contra influenza, como crianças, gestantes, puérperas, pessoas com 60 anos ou mais e povos indígenas, que são compostos de 15.377 pessoas, segundo estimativa da Secretaria de Saúde. Outros grupos também podem receber a vacina, como profissionais de diversas áreas, população privada de liberdade, doentes crônicos, entre outros. A lista completa pode ser conferida no site www.riodosul.sc.gov.br.

E junto com a imunização da gripe, Santa Catarina também de tétano e difteria para indivíduos maiores de sete anos e vacinas contra difteria, tétano e coqueluche acelular para os grupos indicados.

A secretária de Saúde, Roberta Hochleitner, destaca que a campanha foi antecipada em todo o território nacional, pois é grande a circulação de doenças respiratórias já nestes períodos iniciais de 2024. “É ideal que comecemos a vacinar os públicos mais vulneráveis para que, na chegada dos meses mais frios, a vacina já esteja oferecendo imunidade para estas pessoas. E salientamos quer as vacinas são seguras e que toda a família esteja consciente da importância de se prevenir contra a gripe e outras doenças”, comenta.

Grupos prioritários da campanha contra a gripe

– Trabalhador da saúde
– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias)
– Gestantes
– Puérperas
– Professores do ensino básico e superior
– Povos indígenas
– Idosos com 60 anos ou mais de idade
– Quilombola
– Pessoas em situação de rua
– Profissionais das forças de segurança e salvamento
– Profissionais das Forças Armadas
– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade
– Pessoas com deficiência permanente
– Caminhoneiros
– Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso
– Trabalhadores portuários
– População privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade,
adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas.