Luto oficial em Rio do Sul – Beatriz Pellizzetti Lolla

A prefeitura de Rio do Sul comunica o falecimento da historiadora Beatriz Pellizzetti Lolla, na manhã deste domingo (21), aos 93 anos, na capital do Alto Vale.

0
789
Google search engine

Beatriz foi historiadora, escritora e professora. Formada em Filosofia, Ciências e Letras, Geografia, História, teve ainda formação de Museologia e História da Arte. Autora de pelo menos 11 livros, foi a primeira homenageada pela Associação de Escritores do Alto Vale do Itajaí.

O velório será neste domingo no Cemitério Jardim Primavera, no bairro Fundo Canoas, com cerimônia de despedida às 16h. O corpo será cremado.

O prefeito José Thomé decretou luto oficial de três dias, lembrando do grande legado e do papel histórico de Beatriz Pellizzetti Lolla.

“Lembraremos sempre de Beatriz pelo seu amor pela história, trabalhos riquíssimos em informação, cultura e conhecimento. São inúmeros trabalhos, livros, destaques, conferências e atividades no Brasil e no exterior que lhe conferiram tamanha importância na cena cultural mundial. Sem dúvida é uma pessoa que merece todas as nossas homenagens”, comentou o prefeito.

História de vida de Beatriz Pellizzetti Lolla

Fonte: Associação de Escritores do Alto Vale do Itajaí

Em termos acadêmicos, é licenciada pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e em Geografia e História na Universidade Federal do Paraná. Obteve a formação de Museóloga, através do Curso de Museologia (Museus Artísticos e Históricos) do Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro.

Estudou nos cursos de Arqueologia e História da Arte Grega e Romana, na Universitá degli Studi de Roma, sobre as províncias romanas, topografia de Roma e da Itália antiga; e de Etruscologia e Antichitá itálica na Universitá Italiana per gli Stranieri, di Perugia.

Foi inscrita no Doutorado de Estado em História, na Universidade de Paris X, sob a direção do brasilianista francês, professor Frederic Mauro, com projeto de pesquisa em Imigração no Brasil. Com o falecimento do orientador, pronta à tese, os diálogos sobre o tema transferiram-se para o professor Albert Broder, da Universidade de Paris XII. A solução para comprovar o estudo realizado, passa então a alternativa de apresentá-lo em livro. O mesmo foi impresso pela Editora Primalpe, em Cuneo, no Piemonte e lançado em Roma, nas comemorações Brasil-Itália. É autora de diversos livros, que receberam destaque no Brasil e também no exterior.

Atuação Profissional

Lecionou como professora titular de História na Universidade Federal de Santa Catarina, como professora visitante no curso de pós-graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian para o setor artístico, com estágio no Instituto José de Figueiredo, em Lisboa.

Proferiu conferências e participou de seminários no Brasil e no exterior, no Instituto de Altos Estudos da América Latina em Paris, Universidade de Paris X, na Universidade Clássica de Lisboa, no XV Congresso Internacional de Ciências Históricas em Bucareste, na Fundação Einaudi em Turino, sobre Imigração Italiana na América Latina e no Centro de Estudos Brasileiros de Roma, na Embaixada do Brasil.

Prêmios e homenagens recebidas

Recebeu a medalha de mérito cultural Cruz e Souza, concedida pelo Governo do Estado de Santa Catarina. Participou do Comitê Científico Internacional proposto pela Arte Studio de Firenze, através de intercâmbio para a Bienal Internacional de Arte Contemporânea em 2005.

Participação em academias e entidades

Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná; do Conselho Editorial do periódico Rio do Sul Nossa História em Revista – Fundação Cultural de Rio do Sul (SC); do Conselho Editorial da Revista Cultura Libertária, Arte e Literatura – Ed. Achiane, Rio de Janeiro. Membro da ABCA – Associação Brasileira de Crítica de Arte. Sessão Nacional da Associação Internacional de Críticos de Arte, ONG reconhecida pela UNESCO.

Livros publicados como autora

1 – Os papéis de Giovanni Rossi no Arquivo Ermembergo Pellizzetti. Publicado em Arquivos para a história. Curitiba: Universidade Federal do Paraná;

2 – Fontes primárias para a história de Santa Catarina. Os papéis do fundador da Colônia Cecília no Arquivo Ermembergo Pellizzetti (1873-1947). Anais do VI Simpósio Nacional dos Professores Universitário de História;

3 – Pioneirismo Italiano no Brasil Meridional: Estudo de Caso. Curitiba: Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense;

4 – Contribuição dos intelectuais italianos no Brasil (fim do século XIX e princípio do século XX) Publicado no Boletim do Instituto Histórico e Geográfico Paranaense. Curitiba;

5 – Um banco de imigrantes em Santa Catarina. Fundação Casa Dr. Blumenau;

6 – Colônia Cecília, anarquistas no Paraná. Publicado no livro A Presença italiana no Brasil. Fundação Giovani Agnelli;

7 – Les Images de La révolution dans Le mouvement immigratoire vers Le Brésil au XIX éme siécies, in “L´image de la Revolution Française” Volume III, dirigidos por Michael Vovelle. Sorbonne. Pergamon. Paris;

8 – Resumo da comunicação sobre: Aspectos da imigração no Sul do Brasil. In: Actes IV (2), publié avec I´aide financière de I´Unesco, Du Conseil International de La Philosophie et dês Sciénces Humaines et Du Comitê International dês Sciences Historiques. Bucarest;

9 – De uma utopia do “fin de scièle” um testamento ideológico legado ao Paraná do Brasil para o século XX. In Martiniere, Guy. Frederic Mauro. Historiador, Centro Cultural Calouste Gulbenkian. Lisboa-Paris;

10 – Memórias de um italiano na Revolução de trinta em Santa Catarina. Fundação Universidade Regional de Blumenau;

11 – Reflexões sobre uma utopia do século XIX. Secretaria de Estado de Cultura do Paraná.